Leitura

Um grande desejo dos pais é perceber nos filhos habilidade e prazer para a leitura. No entanto, é comum se observar, crianças e jovens se distanciarem das atividades de ler e interpretar textos, pois exigem maior atenção e complexos processos cerebrais (concentração, decodificação das letras associando um significado às palavras, utilização da memória recente para compreender o teor do texto e assimilá-lo ), que a maioria não está disposta nem treinada para executar.

Todos esses processos podem ser estimulados pelos pais que, interessados em desenvolver essas capacidades em seus filhos, lêem freqüentemente diante dos mesmos oferecendo assim, um bom exemplo dessas atitudes que serão muito provavelmente repetidas pelos mesmos que naturalmente se espelham nos pais, imitando inconscientemente seus comportamentos. Para as crianças que estão em fase de alfabetização torna-se muito importante ir até as livrarias e folhear livros de acordo com a sua faixa etária, sentando-se junto a elas, motivando-as a soletrar, unir as sílabas e associá-las as ilustrações.

Se possível, destinar parte de sua semanada para a compra de revistinhas e livros do seu interesse, para que desenvolva simultaneamente o conceito de consumir moderadamente dando valor ao dinheiro e associar muito prazer ao ato de ampliar seus conhecimentos através da leitura. Caso seu filho já esteja alfabetizado vocês podem ler todos os dias antes de dormir um trecho de um livro interessante para ele ou uma revista do seu agrado, enfim, estimule-o a fazer uma leitura interativa onde você lê um parágrafo e ele lê o seguinte, e depois pergunte o que ele entendeu para observar sua interpretação do texto. Cuidado para não criticá-lo caso seu entendimento não seja compatível com o esperado.

Quanto mais ele se sentir incompetente para a leitura mais se afastará dela. Portanto demonstre que ficou satisfeito com o seu esforço e ajude-o a superar as dificuldades perguntando como pode ajudá-lo. Caso não tenha sucesso procure a ajuda de uma psicopedagoga que irá auxiliá-lo através de técnicas adequadas, a detectar qual a origem do problema e como solucioná-lo. Lembre-se que ler é um hábito, e deve ser cultivado intensamente. Portanto não perca tempo e comece já!

Próximo ao término do ensino médio inicia-se uma fase crítica e decisiva para o estudante: escolher sua carreira profissional. A pressão sobre o acerto na opção é angustiante para a personalidade em formação desse indivíduo repleto de dúvidas e incertezas. A família acompanha e sofre das mesmas ansiedades no desejo de auxiliar a decisão correta desse jovem. Porém, o processo de auxílio na orientação vocacional desse estudante deve se iniciar com a descoberta dos seus reais interesses e objetivos pessoais. As interferências das opiniões dos familiares devem ser avaliadas e cuidadosamente transmitidas para não influenciarem de maneira negativa a decisão da opção profissional.

Para se conseguir o êxito acadêmico e profissional o estudante deve identificar as áreas que tem maior facilidade de aprendizado (iniciando pelas matérias curriculares), suas aptidões individuais (hobby,), analisar suas características pessoais (destreza intelectual e de personalidade) e descobrir seus interesses profissionais. Existem também testes de Orientação Vocacional que ajudam a elucidar a área mais favorável de atuação do estudante. Caso seja possível, ofereça cursos nas prováveis áreas de interesse para que o jovem possa experimentar um estudo mais objetivo direcionado para a profissão.

É interessante que ele converse com profissionais que estejam na área da pretendida carreira. Um detalhe importante é que fale com um bem sucedido e outro que não alcançou seus objetivos. Estas duas visões auxiliam o estudante a conhecer os dois lados da moeda e se preparar para os possíveis desafios. O mercado de trabalho também deve ser verificado para analisar quais as oportunidades atuais e as exigências iniciais para a contratação do profissional. Oriente ao jovem a se imaginar daqui a dez anos dentro da profissão idealizada. Como se imagina realizando todos os dias as suas atividades profissionais? Sente que estaria satisfeito com a provável rotina? Esta reflexão mesmo que hipotética, auxilia na identificação das possibilidades laborais.

Sabemos que o momento é difícil, mas necessário para completar o desenvolvimento do estudante. Esta é uma escolha decisiva e o jovem estudante vai precisar do seu apoio e motivação na sua busca de descobrir qual será sua função no mundo. Mãos à obra!